30/10/2012

Um pouco sobre o barroco e a moda.


Mais uma vez em cena.

Como sempre a moda e a arte caminham juntas. As inspirações buscam temas e conceitos para as estamparias. Aqui o bordado tomou conta dos looks. Esse resgate de inspirações só acrescentam conhecimento e beleza nas passarelas.
O barroco, com seus dourados, exageros é um excelente ponto de inspiração para um momento aonde o maxi é forte no mercado da moda.
 Barroco - Período literário caracterizado pelos contrastes, oposições e dilemas.
É o antropocentrismo (homem) opondo-se ao Teocentrismo (Deus).
Arte  que define o bem e o mal;
Surgiu na Itália no século XVII;
Foi o rompimento do sentimento e da razão... Ciência e religião.
Uma arte de pura emoção. Um estilo decorativo e rebuscado, com curvas definidas. Com arabescos e exageros de forte intensidade. Presença da hipérbole (figura de linguagem caracterizada pelo exagero da expressão.
Culto dos contrastes - Presença da antítese. claro/escuro...Vida/morte...Tristeza/alegria.
Inspiração no estilo barroco. Peças com muitos bordados que lembram uma tapeçaria. As bolsas são um charme.
O preto, brocados, dourados são referências para o inverno de 2013.

Era do exagero.
Dolce & Gabbana
Sapato com exageros e super rebuscado nas formas.

Foto: Estilo barroco está com tudo no Hemisfério Norte http://ptsco.jp/T93Hw6






"O estilo barroco chega ao Brasil pelas mãos dos colonizadores, sobretudo portugueses, leigos e religiosos. Seu desenvolvimento pleno se dá no século XVIII, 100 anos após o surgimento do Barroco na Europa, estendendo-se até as duas primeiras décadas do século XIX. Como estilo, constitui um amálgama de diversas tendências barrocas, tanto portuguesas quanto francesas, italianas e espanholas. Tal mistura é acentuada nas oficinas laicas, multiplicadas no decorrer do século, em que mestres portugueses se unem aos filhos de europeus nascidos no Brasil e seus descendentes caboclos e mulatos para realizar algumas das mais belas obras do barroco brasileiro. Pode-se dizer que o amálgama de elementos populares e eruditos produzido nas confrarias artesanais ajuda a rejuvenescer entre nós diversos estilos, ressuscitando, por exemplo, formas do gótico tardio alemão na obra de Aleijadinho (1730-1814). O movimento atinge o auge artístico a partir de 1760, principalmente com a variação rococó do barroco mineiro".

Se você não viu este desfile, vale a pena conferir. Observe o cenário e os detalhes rebuscados do estilo barroco.
Se não abrir, veja direto no youtube.
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ngnWx96YxKY

Fonte: Google, Wikipédia

9 comentários:

  1. Tê acho riquíssimo os detalhes dessa época, tudo muito bem trabalhado e elaborado. Hoje em dia, não temos mais essa riqueza no detalhes, disso eu sinto falta, de peças bem trabalhadas.

    Beijo com muito carinho!
    Uma terça-feira linda e especial.
    Lorena Viana

    ResponderExcluir
  2. Apesar de bonito, acho um pouco exagerado demais!
    beijos!!

    ResponderExcluir
  3. Uau, Tê, que beleza o barroco e suas influências até hoje na moda!
    Realmente é lindo, chic demais, peças que prendem a atenção e dão brilho de rainhas, princesas.
    Ahhhhhh como devia ser bom ser uma rainha daqueles tempos!!!
    Só não gosto muito do barroco brasileiro na forma de igrejas e imagens, aquilo me deixa meio deprê, traduzem um tempo de sofrimento para muitos. Mas, fui a todas as cidades mineiras que expõem esta arte, pois não deixa de ser incrível o trabalho de um Aleijadinho, por exemplo.
    Adorei o vídeo e fiquei aqui imaginando um rei antigo vendo estas moças usando roupas que lembram o tempo dele, mas com botas, saias curtas e transparências. Que loucura a minha imaginação agora! hehe
    beijinhos cariocas


    ResponderExcluir
  4. È bonito, mas acho um tanto exagerado .
    Lindo este post.


    Obs. Veja no seu spam pois eu estou com seu e-mail certo.
    O meu e-mail atual é
    emilianonorma@gmail.com

    Aguardo, pois gostaria de iniciar com o seu blog na segunda feira. Amanhã farei um post explicando a proposta.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Adoro o exagero, o mais é pouco, da D&G.
    Fico encantada!
    Tenho um lado perua ; > )
    Desde pequenininha.
    Mas no meu guarda roupa o que impera é preto, cinza, etc.
    Sou perua "enrustida", Tê! ; > )

    bjnhssssssssssss

    PS: o barroco brasileiro é "triste". Como a Beth, tb gosto não.

    ResponderExcluir
  6. Bota exagero nisso, Tê.
    Haja rocócó, bordados e pedrarias.Eu creio que a colônia no afã de imitar a arte do colonizador carregou nos arabescos e deu no que deu.
    O nosso barroco é pesado, entristece, como já disseram a Beth e a ML.
    Para uso na moda, variações são possíveis.

    Ficou bastante esclarecedor o tópico sobre a origem do estilo.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  7. Puxa, quantos detalhes,heim? Imagina sair na rua assim? rs Belo trabalho de pesquisa teu! beijos,chica

    ResponderExcluir
  8. Terezinha,
    eu particularmente não gosto do barroco em nenhum das suas variáveis, sou uma mulher clean, risos... mas gosto de bordado, em pequenos detalhes, adorei a bolsa.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  9. Um desfile muito bonito, mas ele fez muitos pretos e dourados, podia ser mais colorido e mais exagerado! (rs*) Aliás ele quis tirar o exagero do Barroco. Cadê as perucas? Os cabelos das modelos me lembrou Frida.
    Gosto muito de rendas, veludos e transparência. Amei a meia 3/4 bordadas na laterais.

    Jessica Chastain, estava no Oscar com um vestido Alexander McQueen, num barroco suave, lindo... lindo... Adamascado com dourado, muito romântico.

    "Esse jasmim que arminhos desacata,
    Essa aurora que nácares aviva,
    Essa fonte que aljôfares deriva,
    Essa rosa que púrpuras desata;"
    (Francisco de Vasconcelos)

    ResponderExcluir

Amei o comentário. Bjs mil. Tê