28/02/2015

Mais louca é quem me diz...

Por causa de seus 82 quilos, a atriz, Mariana Xavier, foi chamada de baleia em uma rede social. Respondeu, e ainda ouviu: "Morra gorda, então"

Que tipo de sentimento leva uma pessoa a ofender outra com base em seu peso?

É incômodo com o trabalho, a alegria ou o sucesso do outro.


Muito mais livremente atacadas, as magras também sofrem?
Sim, mas não tanto, porque estão mais próximas das capas de revista. As musculosas também. O fato é que ninguém é obrigado a me achar, gorda, bonita.

Ser gordo é saber que o tempo todo olham para você e falam a seu respeito?
Vejo as pessoas comentando, mas é mais pelo trabalho que pela forma física. Na real, o que mais escuto é: "Pensei que você era mais gorda".

O que acha do suposto elogio: "Ela é gordinha, mas tem o rosto lindo"?
Preconceituoso. É como se, do pescoço para baixo, nada prestasse. Não tenho o corpo de menina do Fashion Rio, claro, mas  como minha batatinho frita.

Qual a pior coisa que pode acontecer para quem está acima do peso: ser chamado de acima do peso em vez de gordo, ouvir sugestões de dieta ou o ar de piedade?
O ar de piedade. A pessoa supõe que você não pode ser feliz daquele jeito. E tem palavras que são péssimas, tipo "fortinha". Não querida, não sou fortinha, estou gorda mesmo. E gente que deduz que você está grávida.

A gordura ou a falta dela podem ser associadas a traços de comportamento?
É mito que gordinha é mais fogosa. Como não é verdade que todo gordo é engraçado.

Já fez papéis em que sua forma física não tivesse sido levada em conta pelo diretor?
Apenas um. Ser gorda acabou sendo positivo profissionalmente, pois entrei em um perfil específico. Todas querer ser secas e loiras.

Gordo é gordo porque quer?
A maioria não, mas muitas pessoas acham que gordo fica em casa o dia todo agarrado a uma panela de brigadeiro. Já vi muitos casos envolvendo questões emocionais graves.
TEXTO COPIADO NA ÍNTEGRA DA REVISTA VEJA - EDIÇÃO 2415 - ANO 48 - No. 9

3 comentários:

  1. Mas não vai mudar nunca, por mais que se bata nessa tecla, Teresinha. É como o preconceito contra a cor negra.
    As próprias pessoas envolvidas se discriminam. Cercam-se das pessoas erradas, pq quando estamos com a certas, elas nunca sabem se somos brancos, negros, magros, gordos.
    São pessoas.
    Acho que na vida e na arte tem lugar para todos que aqui chegaram, da mesma maneira, e irão da mesma maneira.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Mulher inteligente, não briga, não xinga, não revida: pensa mais e melhor!
    Só quem tem uma vidinha muito mais ou menos se importa com o "shape" alheio.

    Mais um post sensacional, Tê! bjssss

    ResponderExcluir
  3. Pois é Teresinha, o texto relata uma realidade do mundo do preconceito e da falta de educação diria mais.
    Assim com as gordas, as magras, os negros,os homossexuais,descendentes de orientais e por ai vai.
    Preconceito uma palavra cheia de maldade que deveria ser abolida.
    Uma boa partilha para uma reflexão.

    Uma linda semana a você.
    Que a alegria e paz estejam presentes.
    Carinhoso abraço amiga.

    ResponderExcluir

Amei o comentário. Bjs mil. Tê