07/07/2010

Curvas mais acentuadas!!!!

"Quando se pensa num padrão de beleza nos dias de hoje, pensa-se em Juliana Paes. A atriz fluminense de 31 anos (atualmente grávida de três meses), morena e curvilínea, mede a altura certa (1,70 metro), pesa os quilos desejáveis (57) e registra a centimetragem perfeita (87 de busto, 67 de cintura, 98 de quadril) para se encaixar na preferência nacional. Pois há vinte anos o padrão era bem outro – naquele tempo, Juliana seria enorme. Na virada dos anos 80 para os 90, musa que era musa tinha corpinho de Luciana Vendramini, o que se traduz em tudo menor: Luciana, hoje com 39 anos, lembra que nos seus áureos anos tinha a menos que Juliana exatos 12 quilos, 10 centímetros de altura, 3 de busto, 7 de cintura e 11 de quadril. E ainda se achava acima do ideal: "Quando eu era bailarina, enfaixava o peito para não aparecer no colante. Até pensei em fazer plástica para reduzir um pouco, mas não tive coragem". As duas, ambas lindas, retratam um avanço geral das medidas do corpo das brasileiras nas últimas duas décadas: pesquisa do Instituto Gesser & Gesser, de Santa Catarina, especializado em estudos antropométricos, feita inicialmente com 28 000 mulheres de todas as capitais e repetida a cada seis anos com 10% desse total, aponta que de 1982 a 2006 a brasileira adulta ganhou, em média, 3 centímetros de altura, 4 de busto, 9 de cintura, 4 de quadril e 6 quilos."

9 comentários:

  1. É verdade, já mudou bastante o padrão feminino de corpo, mas pra chegarem ao meu, precisam de duas Julianas. hehe
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente, querida, a Vendramini só foi magra no início da carreira, quando adolescente.
    Depois disso, tinha centímetros a menos do que a "Ju" na altura (o que pouco compensa o resto).
    Quanto à estatística, ganhar 3 de altura e 6 em quilos mantem a média bem "gorduchinha" (eu no meio da estatística, louquinha pra secar, já que crescer a essa altura do campeonato, só se for pros lados ;>)ISOLA!

    bjnhs

    PS: PARABÉNS pela defesa da tese, Teresinha. SUCESSO!

    ResponderExcluir
  3. Interessante ver isso. Quer dizer que as mulheres estão se exercitando mais,e se alimentando com mais calorias? Pq se a gente olhar pra trás, os cotumes alimentares tb mudaram.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. O padrão não deveria existir, acaba com a diversidade, rsrsrs. Bjosss

    ResponderExcluir
  5. Uau!! Concordo com a Rê. A diversidade traz a beleza, e nós temos esta mania bizarra de tentar nos encaixar em estereótipos, muitas vezes nos violentando. Me incluo nisso!
    Hoje estou satisfeita comigo. Tenho muito mais do que a Juliana em peso e cintura, e menos em altura, mas gosto do que vejo no espelho (é só não olhar tão de pertinho... kkkkk)
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Viva a diversidade. Temos que aceitar nossos corpos e mostrar o que temos de melhor.
    Bjs meninas...

    ResponderExcluir
  7. Teresinha,
    Mulher gorda é muito mais feliz que mulher magra!...Eu quando como e bebo, sem pensar na balança, estou na maior!...Claro que depois seguem-se uns dias de desconsolo para emagracer umas gramazinhas!...hehehe
    Bolas nós somos mesmo tolas, homem de barriguinha até é sexy, até de bengala, com aquela enorme auto-estima que eles têm!rsrsrsrsr
    Beijinhos,
    Manú

    ResponderExcluir
  8. Olá Teresinha!

    Amei o teu blog!!

    Obrigada pela visitinha ao mosaicos.

    Tudo de bom prá você, e tenha um excelente final de semana.

    Beijos

    Cid@

    ResponderExcluir

Amei o comentário. Bjs mil. Tê