29/07/2010

Leques - Um luxo só!!!





Os leques já existiam séculos antes de Cristo. Eram enormes, não podiam ser fechados e quem os movimentava eram os escravos. Na época dos grandes descobrimentos, os portugueses trouxeram do Japão a novidade dos leques retráteis, que logo se espalhou pela Europa, invadindo a França, tomando conta da Corte e dos salões e inspirando poetas e pintores. Nessa época os leques eram presos à cintura por delicadas e artísticas correntinhas. Para o Brasil foi trazida a moda com a vinda da família real portuguesa, no início do século XIX.


Os leques mais antigos, chamados de “flabellum”, eram feitos de folhas de lótus, penas de pavão, pintadas com cores vibrantes. 
O leque, também, era fonte de linguagem codificada das damas para os cavalheiros. Alguns exemplos: Eu te amo - Esconder os olhos com o leque aberto. Aproxime-se - Andar com o leque, conduzindo-o aberto na mão esquerda. Quando nos veremos? Leque aberto no colo. Não me esqueça - Tocar o cabelo com o leque fechado. Adeus - Abrir e fechar o leque. Sim - Apoiar o leque no lado direito do rosto. Não - Apoiar o leque no lado esquerdo do rosto. 
Célebres em Paris após a Revolução Francesa, os leques com grandes letras douradas tiveram, também, uma função didática, ensinar as primeiras letras ... À exemplo de moedas e medalhas, os leques também eram usados para comemorar os grandes feitos da vida de um país e sobretudo a França produziu muitos exemplares deste tipo, como aquele que retrata a ascensão dos balões Montgolfier.


5 comentários:

  1. Obrigada pela aula, Teresinha.
    Adorei a "linguagem" dos leques.
    Mês passado, fui visitar o Museu Histórico Nacional (aqui no Rio), a convite da minha professora que trabalha lá, no acervo, e ela me mostrou tantos leques.
    Cada um com sua história, fiquei claro com pena das penas dos pavões e dos hastes de casco de tartaruga, ai que dó.

    bjnhs

    ResponderExcluir
  2. Sabe que eu adoro um leque. Comprei alguns pra mim lá no Saara. Uso no verão quando vou a Igreja. Vitor meu filho fala que é mico. Nem ligo. Quem passou pela menopausa precoce sabe o quanto um leque ajuda. Bjs amiga

    ResponderExcluir
  3. Priscila Ferreira30/07/2010 09:26

    Nossa quanta coisa o leque transmitia né? são lindos, me lembra a dança araruna de quando dancei na escola! kkk beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu acho este objeto uma gracinha!
    Tenho sempre um na bolsa agora que estou naquelas fases dos calores. hehe
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  5. Ola
    Sou Raoni Pontes , historiador, Pesquisador e Estilista-èpico, e colecionador de leques . A "Coleção Pontes de Leques Seculares" dedica-se ao estudo, pesquisa e catalogação de leques históricos, além de propagar cultura e conhecimento . Atualmente é a maior coleção de leques, contando com peças que vão dos séculos XVII ao XX, fora de um museu.
    Adoraria poder estar em contato com seu blog para trocarmos informações .
    http://pontescollection.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Amei o comentário. Bjs mil. Tê