06/08/2011

Responda


Na sua opinião, o que mais influencia as pessoas: Modelos plus size ou modelos magérrimas?
Pergunto isso, devido ao fato de ter lido por aqui e ali sobre pesquisas feitas dizendo que as modelos plus size afastam as pessoas de um peso saudável, incentivando assim a epidemia da obesidade.
Sabe, eu fiquei perplexa com isso, pois, o fato de falar, ter, mostrar roupas para estruturas maiores ou mesmo em ter desfiles com pessoas gordinhas, não quer dizer que isso seja uma apologia a não ter uma vida saudável. Isso não quer dizer que uma pessoa acima do peso não busca o bem estar. Não quer dizer que as atividades físicas sejam abolidas.
Quando vejo algumas modelos, que são rotuladas como modelos plus size, fico pensando se elas estão fora desses padrões estabelecidos, pois para mim estão lindas e maravilhosas. Com tudo em cima. 

CHRISTINA HENDRICKS. Comprova que as curvas estão mesmo em alta!
No entanto, se pensarmos bem, quantas meninas anoréxicas existem por ai? Será que as modelos magérrimas podem servir de espelho para as pessoas? Sendo assim, não tem nenhum problema?
Se tivermos pensamentos retrógrados ao imaginar uma coisa dessa, não chegaremos a lugar algum. Temos que incentivar, tanto as magras quanto as gordinhas, a buscar uma vida saudável, fazendo um check-up periodicamente, buscando uma qualidade de vida melhor.
Às vezes, eu fico chateada por ter alguns quilos acima do meu peso, mas eu vou à academia todos os dias e procuro, na medida do possível, fazer uma alimentação balanceada. Sei que a cada dia fica mais difícil para eu emagrecer. Isso devido a uma séria de coisas. Só eu sei como é difícil emagrecer alguns quilinhos. 
Fico pensando com os meus botões... Será que a pessoa é gorda porque quer? 
Outro dia, conversando com uma professora lá da minha academia, achei interessante o que ela disse sobre o quanto devemos nos valorizamos ao olharmos no espelho. O quanto devemos dizer para nós mesmas que estamos satisfeitas por ter esse corpo que nos faz andar, correr etc. E acho que é por ai mesmo. Devemos nos olhar no espelho e dar um feedback para nossa imagem com pensamentos positivos (já pensando na neurolinguística).

Tara Lynn

Pensando mais longe... Será que a pessoa baixa ou alta demais por estar fora dos padrões  são menos felizes das outras que têm estaturas dentro dos padrões de beleza?

Acho que tudo na vida não pode ser nem oito nem oitenta. Tem que ter um meio termo. Portanto, vale a pena procurar ajuda. Ir a um médico a um nutricionista. Fazer exames e não deixar de se exercitar. 
Não posso falar pelos outros, mas quando escrevo ou mostro imagens de pessoas com estruturas maiores, não quer dizer que não procuro estar de bem com a vida!


É o mundo plus size querendo demonstrar, a cada dia, sua força de consumo e quebrando paradigmas. 
O sentir bem é essencial para a auto estima e para passar uma segurança. Vamos traçar nossas metas e alcançar nossos objetivos.
situp.gif (2368 bytes)

7 comentários:

  1. Concordo com o que a sua prof. disse! acredito que nós tenhamos que estar feliz com nós mesmos! muita menina já foi influenciada pelas modelos magérrimas, e com certeza as plus size também fazem atividades e têm objetivos! ;)

    ResponderExcluir
  2. Como tem gente falando besteira! Minhas duas filhas são plus size, são gordas? Não! mas ambas têm mais de 1,75m, têm ossatura larga, fizeram esporte a vida toda e nadaram muito, além de terem seios 44. Que roupa desfilada por esses bambus entram nelas? Nenhuma! Ah, isso me cansa. A moda deve e tem que ser para todas.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  3. Olá Teresinha
    Quebrar paradigmas é uma coisa que deve ser feita.
    Plus size não significa desleixo, doenças a caminho, falta de auto estima, como quase todo mundo imagina. O importante é adotar um meio termo, nem tanto ao mar, nem tanto à terra; procurar levar uma vida mais equilibrada, e isto inclui boa alimentação, com a ajuda de um profissional qualificado, praticar atividades físicas sem exageros, estar de bem consigo mesma; desta maneira a vida se tornará mais leve, mais agradável, penso que é por aí o caminho.
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Tê,

    Acho que antes da submisão ao peso temos que ser felizes...
    Existem pessoas magras que não são saudaveis como tbm existem pessoas acima do peso saudavel... Acho que tudo depende da maneira que a pessoa leva sua vida... Nem todas as GG, é assim porque querem, muitas tem alguma disfunção, metabolismo lento, que mesmo que como pouco engorda...
    Acho sim que a saude vem em primeiro lugar...
    Minha avó é bem bem baixinha, e passou dos 100 kg, e chegou uma época que nem andar, andava... Por isso acima do peso ou não a saude vem em 1º lugar...
    Vms ser felizes cuidado da saude, sem ditadura de ser magra ou não!!!


    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. O problema foi a banalização da moda. Moldando estereotipos, sugerindo uma certa perfeição impossivel de ser alcançada pela maioria. O importante [é a gente se sentir bem com o corpo que tem e pronto!
    bjosssssssssss

    ResponderExcluir
  6. Amiga linda e fofinha,
    Pois eu também convivo com meu plus size, mesmo fazendo ginástica e sendo super ativa, porém tô nem aí mais!
    E quer saber,eu duvido que estas coisas esquisitas como esta que mostrou aí agradem a algum homem.
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  7. O que mais influencia as pessoas, eu não sei, mas o que mais influencia o negócio moda, acho, são as modelos padrão.
    Questão de neutralidade.
    Nelas, a roupa aparece.
    Gente "de verdade" tende a "aparecer" mais do que o que vestem.
    Modelos "reais" seriam perfeitas caso o que estivesse à venda fosse roupa sob medida, não o pret-a-porter.

    bjnhs, ótima semana.

    ResponderExcluir

Amei o comentário. Bjs mil. Tê